quinta-feira, 10 de agosto de 2017

Jornalista Iraniana Neda Amin já está em segurança em Israel

Na sequência de:


Neda Amin, jornalista de origem iraniana, refugiada na Turquia, de onde colaborava no site persa do The Times of Israel, chegou em segurança a Israel na manhã desta quinta-feira, e foi recebida no aeroporto Ben-Gurion por David Horovitz, do The Times of Israel.
Amin estava a  ser ameaçada com a deportação iminente pela Turquia. Se nenhum país a acolhesse, ela seria enviada de volta para o Irão, onde temia pelo seu destino.
Depois de o The Times of Israel ter alertado as autoridades israelitas para a situação, os funcionários do governo imediatamente responderam e abriram o caminho para sua vinda segura para Israel.
"Obrigado", disse Amin, uma e outra vez, quando chegou, abraçando Horovitz. "Vocês salvaram-me." 
Horovitz agradeceu a todos os funcionários israelitas que trabalhara para garantir a segurança da jornalista. "Estou orgulhoso de viver num país que respondeu tão prontamente para ajudar alguém que estava em perigo".
"Assim que trouxemos o caso de Neda à atenção das autoridades israelitas, todos foram prestáveis e profissionais", disse ele.
Amin escreveu regularmente para o site persa do The Times of Israel e fez algum trabalho por conta própria. "Ela temia pela sua vida, e o seu trabalho para o The Times de Israel era aparentemente um factor, então eu senti que nós tinhamos a obrigação de garantir o seu bem-estar, e estou muito grato a todos os funcionários israelitas a quem pedi assistência e que responderam imediatamente", disse Horovitz. Os funcionários do consulado de Israel em Istambul, realçou, foram particularmente úteis.
O ministro do Interior, Aryeh Deri, que emitiu o visto para a sua entrada no país, anunciou esta quinta-feira: "Bem-vinda a Israel!".

Amin havia apelado para as Nações Unidas na Turquia para a protegerem, observando que a ONU anteriormente a designara como refugiada, em 2015, e também apelou para organizações de direitos humanos e outras para intervirem em seu nome.

A ONG UNWatch emitiu uma petição a favor de Amin, alertando que estava "em grave perigo se fosse deportada para o Irão".
Amin, de 32 anos, fugiu do Irão para a Turquia em 2014.
Fonte

Conta o editor do The Times of IsraelDavid Horowitz:
(...) Passei parte desta quinta-feira com Neda, ouvindo mais da sua história.
Contou-me que o último ano e meio foi terrível. Diz que foi convocada para interrogatório pelas autoridades de segurança turcas não menos que seis vezes, acusada de ser uma espia, que lhe ofereceram grandes somas de dinheiro para trabalhar para eles, e a ameaçaram de deportação para o Irão. 
Numa sessão, ela perguntou: "É ilegal escrever para  a Imprensa israelita?" Não, responderam-lhe. "Então, porquê todos estes interrogatórios?". Explicaram-lhe: "Nós não gostamos de trabalhar com Israel, e não gostamos que você trabalhe com Israel".
Ela disse que o seu apartamento foi invadido recentemente. Ela acha que Chica (NDT: a sua cadela pastor alemão de 27 quilos) assustou quem quer que lá tenha entrado. Nas últimas semanas, ela não dormiu em casa - estava demasiado assustada. 
Foi-lhe dito que iria enfrentar a deportação em, ou após, 5 de Agosto, e estava a lutar junto dos Tribunais turcos para o evitar, quando Israel lhe abriu as portas.
Tenho certeza de que há muito mais na sua história. Não tenho ideia de como vai continuar a partir daqui.
Mas, como jornalista, que muitas vezes critica muito o que é feito aqui, que se preocupa com muitos aspectos deste país, eu sinto-me bastante orgulhoso do Estado de Israel hoje.
Nós acreditamos que uma vida estava em perigo, e nós agimos para garantir que o perigo fosse evitado. Um pequeno episódio na vida da nossa nação. Um bom episódio.
Fonte


- David conta também que Neda chegou hoje ao aeroporto com a sua imponente cadela Chica pela trela. Enquanto não são conhecidos detalhes da operação que levou a jornalista em segurança para Israel, fazemos votos de que seja feliz no seu novo lar. 


Sem comentários:

Enviar um comentário

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.